quarta-feira, 22 de maio de 2013

A inercia é da Justiça ou da Assessoria jurídica que nos representa?

Em janeiro de 2009 os Professores da Rede Municipal de Ensino, foram agraciados pelo então prefeito Geraldo Gomes de Oliveira, com a suspensão do pagamento de horas extras trabalhadas por estes e outros funcionários no mês de dezembro de 2008. O motivo. Segundo informou o próprio, não pagou as horas extras, porque o gestor anterior Ex-prefeito Zé Lins, não teria deixado essas horas empenhadas. Na esperança de receber o suor do nosso trabalho, entramos com uma ação judicial a qual foi julgada procedente e o então prefeito Geraldo Gomes,  condenado apagar as nossas horas extras. Este não cumpriu a sentença dada pelo Magistrado Dr.  Marcos Vinícius Pereira Júnior. Após o termino do prazo legal, fomos orientado a entrar com o pedido de execução de sentença, fazem quase dois anos que aguardamos uma resposta da justiça e até agora nada, nem um sinal de que iremos receber nossas horas extras. A pergunta é: De quem devemos cobrar uma providência? Da assessoria Jurídica do SINTE/RN, responsável pela ação? Devemos procurar o poder público e ver o que este tem a dizer? Como diz o Chapolin Colorado: E agora! Quem poderá nos defender?  Veja a decisão da justiça... Isso é uma vergonha!!!!!!